TRAVESSA DA ERMIDA… A SUL

TRAVESSA DA ERMIDA… A SUL
May 16, 2016 admin

TRAVESSA DA ERMIDA… A SUL

16.07.16|06.11.16
CENTRO DE ARTE DE SINES, Sines, Portugal

Apropos the 19th edition of  “Verão Arte Contemporânea” [Contemporary Art Summer], the Project Travessa da Ermida, located in Belém, traveled from Lisbon to the Centro de Artes de Sines–the most southward spot it has travelled to –  to present a selection of about 30 artworks exhibited in Ermida throughout the past eight years.

The exhibition “Travessa da Ermida a Sul” gathers artworks of Alberto Carneiro; Albuquerque Mendes; Alexandra Corte-Real; Ana Pérez-Quiroga; Ângela Ferreira; Bela Silva; Daniel Blaufuks; Eduardo Nery; Gabriela Albergaria; João Louro; João Maria Gusmão + Pedro Paiva; João Ribeiro; João Noutel; Julião Sarmento; Luís Paulo Costa; Madalena éme; Manuel Caeiro; Miguel Palma; Nuno Maya & Carole Purnelle; Régis Perray; Rita Barros; Rui Toscano; Rui Chafes; Sandro Resende; and Susanne Themlitz. As a whole, the presented artworks aim to give a particular vision of what was the national contemporary artistic production through the activity developed around Travessa da Ermida.

According to the curator, Catarina da Ponte, “It is not a retrospective display, but the exhibit of a narrative which puts themes and reflexions, common to some artists who have shown their work in Ermida, in perspective”.  The exhibition proposes a discourse structured in five nucleuses: “Dialectics”, “Interior”, “Time”, “Vicente” and “Editions”.

In the opening day it was also launched the book “O Arco da Ermida”, result of the photographic register of the about 50 contemporary artworks that the 17th century arch of Ermida has given shelter to during the past years

Throughout these last eight years, the Ermida Nossa Senhora da Conceição –17th century monument dismissed from its primary religious cult function – has received exhibitions of the most important creators of the Portuguese artistic scene, providing the dialogue among artists, designers, curators and several entities in this sphere.

Being a space, par excellence, dedicated to the programming and circulation of arts, the Project Travessa da Ermida has been taking Contemporary Art to other places in the country, namely the Convento de Cristo in Tomar. Nevertheless, this is the first time the Travessa da Ermida travels southwards.

The exhibition was shown from July 16th to November 6th 2016 in the Centro de Artes de Sines.


A propósito da 19.ª edição do “Verão Arte Contemporânea”, o Projecto Travessa da Ermida, localizado em Belém, viajou de Lisboa até ao Centro de Artes de Sines–o ponto mais a sul a que já se deslocou– para apresentar uma seleção de cerca de 30 obras exibidas na Ermida Nossa Senhora da Conceição ao longo de oito anos.

A exposição “Travessa da Ermida a Sul” reúne trabalhos de Alberto Carneiro; Albuquerque Mendes; Alexandra Corte-Real; Ana Pérez-Quiroga; Ângela Ferreira; Bela Silva; Daniel Blaufuks; Eduardo Nery; Gabriela Albergaria; João Louro; João Maria Gusmão + Pedro Paiva; João Ribeiro; João Noutel; Julião Sarmento; Luís Paulo Costa; Madalena éme; Manuel Caeiro; Miguel Palma; Nuno Maya & Carole Purnelle; Régis Perray; Rita Barros; Rui Toscano; Rui Chafes ; Sandro Resende; e Susanne Themlitz. No seu conjunto, as obras apresentadas pretendem dar uma visão particular daquilo que foi a produção artística contemporânea nacional através da atividade desenvolvida em torno da Travessa da Ermida.
De acordo com a curadora, Catarina da Ponte, “não se trata de uma mostra retrospetiva, mas antes da apresentação de uma narrativa expositiva que releva temas e reflexões comuns a alguns dos artistas que apresentaram o seu trabalho na Ermida ao longo dos últimos oito anos”. A mostra está estruturada em cinco núcleos expositivos: Dialética, Interior, Tempo, Vicente e Edições.

No dia da inauguração, foi também lançado o livro “O Arco da Ermida”, resultante do registo fotográfico das cerca de 50 obras de Arte Contemporânea que o arco setecentista da Ermida albergou no decorrer da programação deste espaço.

Ao longo de oito anos, a Ermida Nossa Senhora da Conceição – monumento setecentista destituído da sua função primordial de culto religioso – tem acolhido exposições dos mais importantes agentes e criadores da cena artística portuguesa, proporcionando o diálogo entre artistas, designers, curadores e entidades ligadas ao setor. Sendo um espaço, por excelência, dedicado à programação e à circulação das artes, o Projecto Travessa da Ermidatem levado a Arte Contemporânea a outros pontos do país, nomeadamente ao Convento de Cristo, em Tomar, onde recentemente realizou um ciclo de exposições. Contudo, esta é primeira vez que a Travessa da Ermida viaja para sul.

A mostra esteve patente ao público de 16 de julho a 6 de novembro, no Centro de Artes de Sines.